Olá meus amores, tudo bom com vocês? Hoje o assunto é a transição capilar e toda a bagagem que vem com ela.

Desde muito cedo, nós mulheres negras, de cabelo crespo ou cacheado somos tachadas como: Nega do cabelo duro, cabelo de pixaim, cabelo de bombril, entre outros nomes pejorativos. Isso tudo porque o padrão de beleza era  a mulher branca, loira, alta, dos olhos azuis e com o cabelo liso, em outras palavras, o padrão europeu. Hoje, o empoderamento negro vem crescendo a cada dia, o que é algo maravilhoso.

Quando surgiu esse assunto de transição capilar foi algo que eu particularmente ainda não tinha muita fé, pois pensava que a moda não iria pegar, já que na época estava muito em alta todos os processos químicos de alisamento e eu ira o tipo de mulher que me negava a voltar ao cabelo cacheado.

Há transição capilar  só quem está passando ou já passou sabe que não é fácil esse período, pois é onde nossa auto estima fica mais frágil. O fato de você ter que se acostumar com duas texturas de cabelo, volume e todo o trabalho que temos para cuidar do cabelo leva a muitas a desistirem do processo e voltarem a utilizar química nas madeixas.

Mas tenho algo muito bom para dizer a vocês, passar por esse processo de transição é você começar a auto aceitação, ver no espelho que somos lindas da forma que Deus nos criou seja com um cacho definido ou não. Não devemos nos prender a padrões de beleza que acaba nos oprimindo e nos fazendo pensar que não somos bonitas pelo simples fato de não termos nascido com o cabelo loiro, liso e com olhos azuis. Esse padrão que nos faz duvidar da perfeição de Deus, pois ele nos criou e ele sabe o melhor para cada um, se ele te fez com os cabelos cacheados foi por um motivo, não foi o acaso. O amor de Deus é perfeito demais para criar algo que não seja bom.

A transição capilar nos faz ter orgulho de cada cacho que se forma em nossa cabeça, ficamos ansiosas para que o tempo passe rápido e o cabelo cresça. O que é engraçado, pois, quando alisamos o que mais “odiamos” é quando passa três meses e a raiz já está grande e temos que voltar no salão e gastar.

O alisamento na minha vida surgiu a 5 anos atrás, onde eu fui para o salão apenas para fazer um relaxamento no meu cabelo, onde abaixava o volume da minha raiz e eu ficava super feliz, pois aquele “volumão” era o meu pior pesadelo. Então a dona do salão, que era muito amiga da minha mãe me fez a proposta de alisar e cortar o meu cabelo, assim, eu realizaria o meu sonho de ter aquele cabelo liso lindo e me livraria dos meus cachos que na minha cabeça eram horríveis. Meu cabelo antes da química era muito grande, cacheado e pesado, ou seja, eu simplesmente odiava. Quantas vezes eu pensava: ” Por que eu tenho que ter o cabelo assim?” ou “Por que eu não nasci com o cabelo igual o da minha mãe” e algumas vezes cheguei a dizer isso para ela, o que a entristecia demais, pois ela amava os meus cachos e tinha maior orgulho deles.

O alisamento é algo imposto pela sociedade, pra ficarmos “mais aceitáveis” e isso é um fato que não tem como contestar. Muitos dizem que para obter um emprego, um cargo maior em determinadas empresas você não poder ter o cabelo “black”. Isso quando o negro em geral consegue essas vagas de emprego, pois o preconceito é algo que é muito presente no nosso cotidiano.

E para finalizar, a transição capilar é apenas uma etapa e nesse período terá momentos que você vai amar e também odiar o seu cabelo, mas isso passa. Ela nos leva a fazer o Big shop  (corte de toda parte alisada) e  nos traz algo que ninguém pode tirar da gente, que é o nosso amor próprio. Nossa auto estima cresce e ai percebemos que cada mulher tem sua beleza, independente se for ela negra, branca, asiática ou indígena.

Cada um tem sua essência, dom, personalidade e quando juntamos todas essas qualidades com nosso amor próprio, nossa auto estima começamos a enxergar o mundo com outros olhos, pois nada do que as pessoas irão nos dizer sobre nosso corpo, ou sobre nosso cabelo irá nos atingir de alguma forma. E também, quando o Senhor está conosco, em todos os nossos planos e em nossa vida, a paz é algo que permanecerá com você eternamente.

Esperam que vocês tenham gostado, fiz o texto com todo coração e alma e que todos tenham um final de semana abençoado. Segunda estou com post novo e nesses dias irei publicando alguns textos e assuntos do blog os outros domínios.

Vou deixar aqui para vocês a foto do meu cabelo com 8 meses de transição, todo esse tempo estava usando o shampoo anti resíduo, todos os dias e isso me ajudou muito a definir o liso que ainda resta no meu cabelo. O meu cabelo está ondulado, mas é somente a parque que tem química.

 

Não se esqueça de se inscrever no Canal do blog e me sigam em todas as redes sociais.

 

 

 

Anúncios

7 comentários em “O que a transição capilar nos proporciona.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s